domingo, 2 de outubro de 2016

Smartphone: a nossa maior fraqueza




É um tempos que é constantemente debatido e atualizado a toda a hora: a segurança nos telemóveis.

Certamente que já ouvimos as duas versões, falando de telefones móveis: que o MOS Android é muito mais inseguro que o sitema da iOS, mais fácil de "penetrar", com mais malware disponível, etc...
E que o MOS da Apple (iOS) é dos que "não precisa de antivírus" porque é praticamente inacessível a este tipo de situações (o que não é totalmente verdade, há sempre "uma percentagem pequena de acontecer" embora esaa probabilidade possa ser menor do que no Android - mas também há estudos que provam o contrário.
E se procurarmos bem também há conclusões sobre o pouco bem sucedido Windows Phone que também já foi apelidado como o mais seguro em comparação ao Android e iOS (por ser o meno utilizado?!).

Mas a questão, de acordo com um artigo recente no Dinheiro Vivo intitulado "O Smartphone é a sua maior vulnerabilidade" (e já vamos perceber porquê) tem tudo a ver com o quanto os utilizadores levam a sério a segurança nos telemóveis - ou seja, o problema principal somos nós!

E porquê? Devem estar vocês a questionar: 1º porque assumimos sempre que as vitimas são sempre o outro e nunca somos nós, o que implica que não tenhamos estes aspecto em atenção:


  • O telefone não tem um padrão de bloqueio do teclado;
  • Não tem um Antivirus instalado;
  • O código PIN do telefone está desactivo;
  • Tem dados pessoais guardados e não tem o telefone com código de desbloqueio activo;
  • Não tem um backup feito (perde todos os dados no caso de roubo ou avaria do telefone);


Portanto o artigo pode ter bastante razão por mais que nos irrite em concluir que somos nós os grandes culpados de perdermos a nossa informação do telefone e dados pessoais porque não protegemos o telefone devidamente.



São passos simples e que evitam que estas situações surjam.

Sem comentários: