quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Sobre as baterias para telemóveis




Após ter surgido o episódio "Samsung Galaxy Note 7" em relação às baterias (ou à explosão das mesmas, literalmente) tive muitas pessoas na loja preocupadas a paerguntar acerca das baterias dos seus telefones e claro, se o seu Sasmung também teria o mesmo problema.


Em primeiro lugar: as baterias dos telemóveis são muito seguras!


Em 2006 surgiu também um episódio muito semelhante com a Sony - que teve de recolher 10.000 bateriais de telemóveis - e estamos a falar da empresa que melhor sabe fazer baterias: foi o pioneiro nas baterias de lítio (portanto os melhores também falham...).

Na altura registava-se uma falha nas baterias em 200.000 - as partículas de metal microscópico entravam em contacto com outras partículas da bateria, causando curto de circuito.
Este é um dos grandes desafios dos fabricantes de baterias.

Com as baterias do Samsung Galaxy Note 7 acontecia algo semelhante: devido a erro humano, as particulas da bateria "positivas" (+) misturavam-se com as partículas da bateria negativas (-) e isto NÃO pode acontecer - causando as explosões do telemóvel.



Um aspecto curioso e que não nos traz vantagem é que as baterias mais antigas são melhores que as baterias de hoje, Porquê?

Porque as células modernas têm separadores de 21 milésimos de milimetro, logo mais susceptíveis de impurezas que os modelos antigos. As baterias mais antigas tinham separadores mais pesados e de capacidade inferior.

Enquanto numa célula normal de 1350 mAh permite a penetração de um prego, já nas baterias de 3400 mAh no mesmo teste incendeiam-se e explodem!



pplware.sapo.pt

Sem comentários: